Os 10 Negócios da Máfia Italiana nos Estados Unidos

Duvido que vocês saibam exatamente o que acontecia dentro da Máfia Italiana! Muita gente pode pensar que as gangues só estavam interessadas em crimes e prostituição – e é aí que elas se enganam. Por isso, saberemos os negócios e atividades ilícitas que a Máfia Italiana (Cosa Nostra), realizava no século 20 nos Estados Unidos da América.

Premissa

Antes mesmo da Era da Proibição, (lembram dessa época, que vigorava a lei seca nos EUA?), as organizações criminais estavam se tornando altamente sofisticadas. A primeira responsabilidade delas era o fator proteção. Então, a partir do momento que alguém procurava pagar pela sua proteção, uma conexão era estabelecida e os negócios eram feitos.

Na prática, essa proteção, era contra outras gangues, máfias e problemas com a polícia. E já vou logo avisando que era muito relativo a proteção de uma pessoa para outra, dependia do dinheiro e do estilo de vida da pessoa. Saibam que esse tipo de negócio era a base. As máfias sempre conseguiam uma parte do lucro do território a que pertenciaSe existisse prostituição ou casa de apostas, o crime organizado recebia uma parcela do lucro e assim por diante. Pequenos empresários nasceram assim e tornaram-se chefes de elite de organizações.

Com isso explicado, vamos para a outra parte curiosa. Veja a seguir Top 10 Negócios da Mafia Italiana no Seculo XX.

1) Contrabando de Álcool (bootlegging) 

1920 contrabando de alcool

A venda de álcool durante a Era da Proibição aumentou drasticamente o lucro da Máfia italiana. Assim, as gangues vendiam a bebida durante a lei seca. Al Capone, foi o gangster que mais lucrou com isto. Foi assim que a América teve consciência do movimento criminal ocorrendo debaixo de suas asas.

Em 1925, teve início  a “guerra do distilado” que provocará mais de 700 mortos, somente na cidade de Chicago. Naquela época, a Máfia italiana era a dona desse negócio. Depois várias batalhas de disputas pelos territórios entre os gangsters italianos e irlandeses, Al Capone, recém chegado de Nova York, decidiu  acabar com toda a concorrência possível ao seu redor……com extrema violência!

Devido à grande influência entre os sindicatos, a máfia, com suas conexões, sabia quando algum carregamento de bebidas alcoólicas negócio chegariam nas estradas. Em poucas semanas Capone organiza uma estrutura clandestina capaz de abastecer de álcool centenas de”speakeasies ou seja, bares clandestinos!

“Eu fiz dinheiro, fornecendo um produto solicitado pelo povo. Se isso for ilegal, mesmo os meus clientes e centenas de pessoas de boa sociedade, quebram a lei. A única diferença entre nós é que eu vendo e eles compram. Todo mundo me chama de gangster . Eu me chamo um homem de negócios”. Al Capone

Era difícil não comprar álcool ilegal; era complicado seguir a lei seca. O contrabando e os gangsters da Máfia  italiana reinaram estados e comunidades.

2) Cosa Nostra e as Organização sindical (Syndicate racket)

organizacoes sindicais

Muitos italianos trabalhavam em indústrias, obras, exportações e importações. Esses imigrantes tinham objetivo de organizar seu sindicato de emprego; entretanto, a gestão não era uma das melhores. Assim, a intimidação provocada pela Máfia Italiana, a impiedosa “Cosa Nostra“, ajudou a erradicar esse problema, fazendo com que houvesse lucro.

Algumas obras de Nova York só podiam ser construídas se a máfia autorizasse. Na verdade, todos os bons prédios construídos em Nova York foram encabeçados por empresas pertencentes ou  ligadas a máfia! De fato, o rápido crescimento da paisagem de concreto de Manhattan seria gravemente afetada sem os empréstimos da máfia italiana, os maquinário de terraplanagem e liderança sindicais conciliadoras.

Na década de 80, um estudo da força tarefa contra o crime organizado do estado de Nova York concluiu que as principais construtoras e organizações sindicais do país preferiam fazer negócio com a Máfia italiana a ter que lidar com líderes sindicais legais e cáusticos.

O Sucesso da Máfia depende da excelência de seus serviços; e da lealdade de seus milhões de clientes satisfeitos. 

3) A Corrupção da Máfia com a Polícia (corruption racket)

1930 police

Esses esforços fizeram com que a máfia ítalo-americana se tornasse uma organização que ajudou e atuou na vida dos pobres e suas dificuldades financeiras. Muitas gangues e policiais começaram a se apoiar mutuamente. Por exemplo, qualquer pessoa podia pedir dinheiro emprestado para a máfia com o objetivo de comprar drogas ou para fazer apostas.

Aquelas pessoas que deviam dinheiro, poderiam pedir clemência se dessem uma informação valiosíssima sobre uma carga que estaria para chegar no porto. As pessoas que visitavam prostitutas e tinham uma certa posição de importância para o estado poderiam ser extorquidos – e assim por diante.

Essa cooperação mútua foi tão massiva e profunda que era difícil estabelecer uma linha que separasse um gangster de um policial oficial. A polícia não tinha nenhuma vontade em erradicar o consumo de álcool ilegal, as apostas ou qualquer atividade que ocorresse nos vice-distritos das cidades. Esses distritos eram localizados em comunidades pobres, onde a máfia tinha total controle. O que mais acontecia?

A própria polícia oferecia proteção às máfias, já que era mais fácil aceitar uma quantia em dólar do que ignorar um roubo nas ruas. Assim, a expectativa de vida do agente policial também aumentou, fazendo com que ganhasse mais: salário do governo e das máfias.

4) Apostas e Jogo de azar (gamling racket)

la vegas_mafia gambling

Para quem não sabe, no começo dos anos 20 do século passado, nenhum estado norte-americano tinha loterias para realizar apostas. Com o intuito de preencher esse vazio, a Máfia Italiana começou uma operação de apostas em diversas áreas. Muitos apostadores profissionais gerenciavam as apostas e davam uma parcela do lucro para o crime organizado. Qualquer indivíduo poderia apostar em jogos de baseball, boxe ou até mesmo corrida de cavalo.

Sobre o jogo de azar, a história da máfia nos relata dois eventos famosos:

Atlantic City – O primeiro evento ocorreu em 1929 na cidade de Atlantic City, quando gangsters italianos e judeus, entre os quais Al Capone, Meyer Lansky, Lucky Luciano, Arnold Rothstein, foram discutir sobre como o recém nascido nacido Sindicado Nacional do Crime, iria reinvestir os lucros do contrabando de álcool, e quais deveriam ser os próximos negócios lucrativos da Mafia. Entre todos, consolidar o jogo de azar, bares e cassinos.

Atlantic City foi a primeira destinação dos jogadores de jogo de azar nos Estados Unidos. Após a sentença de Al Capone em 1931 por evasão fiscal, Lansky moveu para bancos europeus grande parte do dinheiro proveniente de casinos.

Las Vegas – O segundo evento foi quando Meyer Lansky, e seu braço direito Bugsy Seigel, viram no deserto de Las Vegas um potencial negócio lucrativo, a verdadeira “Meca” do jogo de azar. Na vida e na tradição, a máfia e o casino são absolutamente ligados. Durante os anos 40, seu sócio Bugsy, convence os chefes da máfia (incluindo Lansky), a investir no projeto e na construção de um novo Casino Hotel, em Las Vegas, o Flamingo Hotel.

Durante os anos 70 e 80, a máfia de Chicago controlava muitos dos cassinos da cidade do pecado. O mafioso Anthony Spilotro e o Frankie Rosenthal, bookmaker de profissão, foram as figuras quem mais se destacaram naquela época. As famílias de Cosa Nostra construíram Las Vegas e a tornou a destinação turística milionária que é hoje.

5) Prostituição e Pornografia (prostitution racket)

prostituicao mafia

Os cafetões gerenciavam suas prostitutas, e as máfias recebiam uma porcentagem de acordo com o montante recebido. Lucky Luciano, foi que mais explorou esta área de negócio na década de 30, na cidade de Nova York. Lucky lucrava cerca de doze milhões de dólares por ano a partir de prostituição organizada.

Na época o trabalho das prostituas era duro e muitas vezes em condições um pouco precárias. Os bordéis típicos controlados pelos mafiosos eram chamados de “Cat House”, onde gangsters, políticos, e ricos empresários encontraram as garotas, comumente chamadas de “Molls”, o seja prostitutas em inglês.

A Máfia têm sido ligada, também, à produção e distribuição de filmes pornográficos, livros e revistas em todos os lugares dos Estados Unidos. Em 1960 e 1970, a família Colombo explorava máquinas operadas por moedas que mostravam filmes de 8 mm na decadente Times Square de Nova York.

Na mesma época, muitos mafioso controlavam a maioria das salas de cinema só para adultos, os distribuidores  e os laboratórios de processamento dos filmes pornográficos de 35 mm. “Mickey Z” Zaffarano, gangster da família Bonanno de Nova York iniciou uma verdadeira e própria cadeia nacional de sucesso com  a “Pussycat Cinemas”, antes que o FBI o descobriu em 1979.

A família Peirano fez grande sucesso com o filme pornô “Deep Throat” (Garganta profunda). A pornostar e astro do filme, Linda Lovelace, afirmaria mais tarde que ela fez o filme sob ameaça da máfia.

A conexão da máfia italiana com à pornografia diminuiu na década de 1980 e 1990, quando as cassetes de vídeo assumiram o mercado. Mais recentemente, foram descobertos as conexões de alto nível entre o crime organizado e a pornografia na Internet. Em 2005, os membros da família Gambino foram trazidos sob a acusação de fraude por oferecer visitas gratuitas em sites adultos e, em seguida, gerar cobranças duvidosas nos cartões de crédito de seus clientes. Veja tambémAs lendárias 5 Famílias Mafiosas de Nova York

6) Agiotagem (money sharking)

Sabe aquela história de empréstimo? Os mafiosos controlavam os reembolsos com altos juros depois. Assim, quanto mais as pessoas atrasavam, o pagamento era feito da forma que a máfia achasse melhor.

Sabe aquela frase que as pessoas dizem antes de uma apresentação de teatro ou alguma prova: quebre as pernas? É daí que veio a expressão. Tente entender o motivo…

7) Proteção: A máfia como inibidor das atividades econômicas

protecao mafia

Quem perdia mais com isso tudo que vinha acontecendo? Os empresários, é claro. Eles tinham que pagar mais para não serem extorquidos. O lucro deles caía diretamente nas mãos das máfias com roubos. Eles tinham que pagar por segurança da própria máfia para não serem roubados por elas mesmas.

Em muitos casos, estas foram as mesmas empresas que sofreram por greves; empresas que fizeram com que imigrantes italianos trabalhassem 6 dias na semana sem condições físicas para se manter em pé; empresas que não seguiam as leis de segurança no trabalho, onde muitos trabalhadores morriam.

Para a Máfia Americana e seus irmãos mafiosos sicilianos isso não era o problema. Afinal, a vida era um ato brutal, onde havia competições violentas em que o mais forte sobrepujava o fracasso do outro. E eles viviam e morriam assim, de acordo com essa filosofia.

8) Lavagem de dinheiro: O mercado do peixe em Nova York

lavagen de dinheiro

Se você já foi viajar pela costa oriental dos Estados Unidos, provavelmente vocês já pagaram dinheiro a máfia italiana, ou seja pela família Genovese e seus colegas.

Desde o 1930, a família Genovese controlava o mercado do peixe de Fulton, um dos maiores e mais importante distribuidor de peixe do país. O Fulton market, até hoje oferece peixe fresco para todas as costas orientais. A máfia italiana sempre o considerou o local ideal para reciclar o dinheiro proveniente de outras atividades criminosas ilegais, e foi assim por mais de 50 anos depois.

Somente nos anos 80, depois de muitas denúncias evidentes do controle da máfia sobre o mercado, o procurador distrital Rudy Giuliani, conseguiu propôs uma troca de gestão do governo do mercado em 1990. Até o momento o mercado havia vendido cerca de 125 milhões de quilos de peixe fresco ao ano, por um valor de mais de di $ 1 bilhão de dólares.

Nos anos 90, o Fulton market foi mudado para o Bronx, sobre estreito controle das autoridades, afim de deixar fora o crime organizado. Mas recentemente em 2014, membros da família Gambino e Bonanno junto a Mafia Calabresa, a ‘Ndrangheta, foram surpreendidos no porto de New York,  contrabandeando uma grande carga de cocaína escondidas em contêiner de peixe e abacaxis congelados.

9) Tráfico de drogas (Drug trafficking)trafico de drogas

Foi a partir dos anos 50, que a máfia italiana iniciou a colocar  as mão sobre os negócios lucrativos do tráfico de droga. Junto a uma estreita cooperação entre as principais famílias mafiosas e bandidos franceses, a máfia Italiana começou a gerenciar as principais rotas do tráfico internacional, sendo capaz de introduzir toneladas de heroína em todo o continente Americano.

A droga era despachada da Europa com destino a Montreal, no Canadá. O fluxo constante de famílias italiana, que viajavam de férias em navios de carreira, levavam grandes cargas escondidas de droga nos próprios carros, previamente preparado na Itália ou na França.

Uma vez no Canadá a carga era despachada para as principais cidades dos Estados Unidos. New York , Chicago, Las Vegas e Miami eram os principais destinos.

Veja também: As Rotas do Trafico de droga dominadas pela Mafia Siciliana

10) Os negócios do lixo

A conexão entre o negócio do lixo e do crime organizado vem de décadas. Nos Estados Unidos a Mafia Italiana fez parte do sistema de serviço de higiene sanitária comercial desde 1950. Em Nova York, desfrutando das muitas empresas legais usadas de fachada, a máfia ganhava influência sobre as rotas e usava táticas intimidadoras contra a concorrência.

Em 1992, a mulher de um diretor da “Browning-Ferris Industries”, empresa que operava neste setor, encontrou a cabeça decapitada de seu cachorro em frente a sua casa. Em sua boca havia um recado escrito: “Benvenuti a New York“.

A polícia de New York deram grande passos para combater muito das infiltrações criminosas nesta area. Em 1990, mafiosos da famílias Genovese, Gambino e Lucchese foram considerados os principais responsáveis do racket do lixo na cidade de New York.

A tendência continua no exterior. Grupos de mafiosos da Camorra em Nápoles controlam todo o negócio da cidade de Nápoles desde 1980, ganhando atenção no mundo todo no ano de 2008.

Conclusão

Ao longo dos tempos, desde o contrabando de álcool na Era da proibição” de Chicago, aos glamourosos cassinos de Las Vegas, o trafico de droga até os grandes prédios construídos em Manhattam, a máfia italiana sempre conseguiu a maneira “certa” para lucrar com os seus grandes negócios. Dentro das organizações criminosas, a vida não era apenas lucro e lucro. Cada estilo de vida proporcionava vantagens e desvantagens. O objetivo continua sendo o mesmo: sobreviver e lutar pela sua vida.

Com curiosidade para saber tudo sobre este tema? Então, para ficar por dentro de tudo o que rola no blog, curta a nossa página nas redes sociais!

Mafia Academy

Add Comment

O Chefe Está Morto mas a Máfia segue Viva, afirma Magistrado e Mafioso
Cuntrera-Caruana mafia cosa nostra
O Clã Mafioso Cuntrera-Caruana
os corleonesi
O clã mafioso Corleonesi: Uma facção que agregou muitos nomes de peso no mundo da Máfia
tráfico de drogas
A Era de Ouro do Tráfico de Drogas: Como Metanfetamina, Cocaína e Heroína se Moveram pelo Mundo Todo
film cassino fatos
25 Coisas que Talvez Você Não Sabia sobre o filme “Cassino”
Quem foi Mario Puzo
O Pai do Poderoso Chefão: Mario Puzo
rene-trupo4
Top 13 Oficiais Mais Corruptos dos Filmes sobre Gângster
os bons companheiros
Os Bons Companheiros Na Real
Top 10 Gangues de Motociclistas
Top 10 Gangues de Motocicletas Mais Perigosas
gangsters e contrabando 1920
Bootleggers: O Contrabando na América do Norte
estilo gangster mafioso
Por que os Mafiosos são tratados mais como Celebridades do que como Criminosos desagradáveis?
A Insolarada - iate al capone
A Islamorada: O iate de Al Capone no Canal do Panamá