Máfia SA: Com um faturamento de 150.000 bilhões de euro é a primeira empresa na Itália

O volume de negócios do crime organizado, gera lucros por pelo menos 70 bilhões de euros, tem ramificações em todos os setores produtivos e é cada vez mais estruturado como um verdadeiro império financeiro. Com gerentes, executivos e consultores.

É a Mafia SA, a primeira empresa italiana em faturamento e lucro líquido, e uma das maiores para funcionários e serviços. O único ramo comercial da criminalidade mafiosa e não, que afeta diretamente mundo empresarial, supera amplamente os 92 bilhões de euro, uma cifra que corresponde o 7% do PIL nacional.

A cada dia uma massa enorme de dinheiro passa dos bolsos dos comerciantes e empresários italianos para aqueles dos mafiosos, algo como € 250.000.000 por dia, 10 milhões por hora, 160.000 euros por minuto.

Setores de negócios

Cresce o setor de agiotagem, que afeta cerca de 180.000 dos comerciantes. E aumenta o peso econômico das falsificações, do jogo ilegal e das apostas (cujo faturamento é de cerca de 10 bilhões por ano). Mas a máfia se infiltram em importantes segmentos de mercado, dos açougues aos mercados de peixes, da restauração e padarias ilegais, ao setor de turismo à vida noturna, até ao “racket do caro falecido”, que chega a indústria do funeral.

Ela abrange a área da “colusão participada”, que investe o Gotha da grande empresa italiana, focalizando a atenção sobre as possíveis tramas da máfia e os segmentos de grandes distribuições.

“Queremos evidenciar – diz o relatório – o difundir-se, entre alguns homens de negócios, de uma dupla moralidade, para a qual se mostram devotos, as regras do Estado e do mercado quando se trabalha no centro-norte da Itália, e com muita facilidade se adaptam às regras da máfia, no caso eles tinham seus interesses no sul da Itália.

Um comportamento que representa um reconhecimento da soberania territorial das organizações mafiosas, em prejuízo dos princípios leal da concorrência e liberdade “da empresa”.

A máfia SA controla os tráficos ilegais, possuem quotas maioritárias nas “famílias“, nos “clãs” e nas “ndrine” que traficam droga, seres humanos, armas e resíduos, bem como na racket de extorsão e, em parte, a agiotagem.

Gerência familiar

Suas empresas, quase sempre de gerência familiar, mas com rigorosa lógica de negócios, também estão envolvidos na economia legal, atualmente assumindo diretamente o controle majoritário, em parceria com lojas, discotecas, empresas de construção ou grandes distribuições.

Quatro as grande holding company na qual está dividida: Cosa Nostra, ‘Ndrangheta, Camorra e Sacra Corona Unita. Cada uma delas, por sua vez, são subdivididas em sociedade de pequeno e médio porte, independentes umas das outras, mas com um modelo hierárquico.

A atividade empresarial das máfias produziu uma organização interna tipicamente de negócios, com muitos gerentes, executivos, funcionários e consultores. Primeiro de tudo, as atividades criminais aleatórias tornaram-se permanentes, cotidianas.

A gestão das extorsões, da agiotagem, da tributação dos bens, da venda de drogas, necessita de uma orgânica planta estável, que a cada dia cuide da cobrança do “pizzo“, que amplie os “clientes”, diversifique as “oportunidades”, conheça e mantenha sob controle a concorrência, que proteja regularmente a segurança dos componentes da organização dos componentes “infiéis” ou do controle da aplicação da lei, gerenciar e reinvestir o patrimônio.

O Capo-família atua como diretor administrativo e deve apresentar relatórios periódicos aos “sócios” do andamento econômico e financeiro da empresa-clã, e discutir com esses as “estratégias empresariais”, compartilhar as operações e os investimentos mais relevantes, e resolver questões internas da empresa-clã, que poderiam minar a compacidade e a solidez. Os clãs, atentos aos seus “recursos humanos”, reconhecem recompensas de produção aos “Picciotti” e, em alguns casos, pagam até mesmo horas extras.

Veja tambémComo é [Realmente Estruturada] a Máfia Italiana

Mafia Academy

2 Comments

  1. R. A. Rocha Martinez Fernandez
    19 de Março de 2017
    • Estilo Gangster Mafioso
      20 de Março de 2017

Add Comment

O Chefe Está Morto mas a Máfia segue Viva, afirma Magistrado e Mafioso
Cuntrera-Caruana mafia cosa nostra
O Clã Mafioso Cuntrera-Caruana
os corleonesi
O clã mafioso Corleonesi: Uma facção que agregou muitos nomes de peso no mundo da Máfia
tráfico de drogas
A Era de Ouro do Tráfico de Drogas: Como Metanfetamina, Cocaína e Heroína se Moveram pelo Mundo Todo
film cassino fatos
25 Coisas que Talvez Você Não Sabia sobre o filme “Cassino”
Quem foi Mario Puzo
O Pai do Poderoso Chefão: Mario Puzo
rene-trupo4
Top 13 Oficiais Mais Corruptos dos Filmes sobre Gângster
os bons companheiros
Os Bons Companheiros Na Real
Top 10 Gangues de Motociclistas
Top 10 Gangues de Motocicletas Mais Perigosas
gangsters e contrabando 1920
Bootleggers: O Contrabando na América do Norte
estilo gangster mafioso
Por que os Mafiosos são tratados mais como Celebridades do que como Criminosos desagradáveis?
A Insolarada - iate al capone
A Islamorada: O iate de Al Capone no Canal do Panamá