Máfia: Quem é que Comanda na Itália hoje?

Uma olhada no panorama criminal atual, no qual operam as principais máfias italianas. De Cosa Nostra a ‘Ndrangheta, da Camorra a Máfia Capital e, também aquelas de matrizes estrangeiras. Tráfico ilícito de armas e de drogas, extorsão a empresários e a comerciantes, lavagem de dinheiro e reinvestimento, contratos públicos pequenos e grandes, alianças e estratégias. Este é o “sistema mafioso” onde a máfia é patrona.

Infiltrada nos setores econômicos e enraizada na política, hoje a máfia na Itália, está em busca de novas estratégias e novas alianças, onde os acordos com as outras máfias estrangeiras se tornaram necessários e bem lucrativos. Porém nunca deixando de agir de acordo com o antigo método mafioso, o qual lhe permite controlar inteiras áreas territoriais, onde a séculos esta estabelecida.

Veja também: Tudo sobre ‘Ndrangheta, Camorra, Cosa Nostra e Outras Máfias Menores


TÓPICOS ABORDADOS NESTE ARTIGO

  1. O renascimento da máfia siciliana
  2. O quartel geral da máfia calabresa
  3. As novas estratégias da máfia napolitana
  4. A “quarta mafia”: máfia salentina
  5. A máfia em Roma
  6. Máfias de matrizes estrangeiras na Itália: Máfia nigeriana, romena, albanesa e chinesa

1) COSA NOSTA: A RESSURREIÇÃO 

A organização Cosa Nostra, apesar de ter sido duramente atingida por várias investigações e detenções, a partir de 2014, vem demostrando sua “renovada vitalidade” começando da cidade de Palermo.

– Palermo: o coração da máfia siciliana

A cidade de Palermo é e continua a ser o local onde a Máfia siciliana faz a melhor prova de sua viabilidade, tanto na tomada de decisões quanto em seu plano operacional.

Continua a emergir como um fator fundamental para as linhas estratégica de ação da Cosa Nostra: o esforço é contínuo e a constante tentativa para se reestruturar, querendo fazer ressuscitar as estruturas centrais de comando da organização, em particular a comissão provincial de Cosa Nostra em Palermo, fortemente afetadas pelas iniciativas de investigação e processuais.

Os magistrados indicam que apesar da ausência em Cosa Nostra de seus Capos mais carismáticos (fugitivos e procurados), ela não tem revivido aos violentos conflitos internos entre as famílias sicilianas, como assistido no passado.

Hoje em Cosa Nostra, a cooperação de tipo horizontal entre as famílias mafiosas da cidade de Palermo, garante a continuidade da vida da organização e seu negócio; em particular existe um renovado interesse para o tráfico de drogas e para a gestão dos “Jogos” tanto legal como ilegal.

De tal maneira, a organização em seu complexo parece ter atravessado e superado, embora não sem consequências sobre suas atividades, o difícil momento histórico devido à luta bem-sucedida pelo Estado e de haver recuperado o seu equilíbrio.

– A Direção Nacional Anti-Máfia

No panorama mafioso siciliano, grande importância vem dada a DNA (Anti-Mafia Direção Nacional), pela captura da totalidade dos grandes fugitivos da máfia de Palermo. Foi certamente um sinal muito forte de capacidade do Estado de se opor a Cosa Nostra.

A partir daqui a atenção ao último grande fugitivo da máfia: Matteo Messina Denaro, chefe indiscutível das famílias mafiosas em Trapani, que estende sua influência muito além dos territórios sicilianos. Sua prisão só pode ser prioridade, considerando que na descrita situação de dificuldade da Máfia Siciliana, a perda deste ponto de referência, poderia constituir também, em termos simbólicos, um enorme dano à a organização.

A atenção do poder judiciário, que investiga sobre os crimes de tipo mafioso, também é direcionada para as investigações em curso contra de Salvatore Riina (Capo histórico da organização nos anos 80 e 90). Em algumas interceptações obtidas da cela do presídio, em que ele se encontra, o chefe da máfia levou a falar abertamente entretendo o companheiro de detenção sobre os fatos da sua passada história criminal.

Particular consideração investigativa merece o conteúdo das declarações interceptadas na prisão contra Salvatore Riina, que tem explicitamente assumido a eliminação física do procurador Di Matteo. Riina não poupou palavras de ameaça contra qualquer pessoa, que exerça atividades de contraste a execução do imenso poder da Cosa Nostra.

2) ‘NDRANGHETA S/A.

Com relação a ‘Ndrangheta, se confirmaram os dados da grande unidade da Máfia calabresa, assim como a existência de um tipo de “Conselho de Administração da holding“, que comanda a inteira organização criminosa.

De resto era difícil pensar que ao administrar centenas de milhões de euros, a governar dinâmicas econômicas, lícitas e ilícitas, em dezenas de compartimentos diferentes, não só na Itália mas na maior parte do planeta (da Austrália à América do Sul, da Europa para a América do Norte, através de todos os paraísos fiscais possíveis), poderia ser uma questão confiada à grupos criminais dispersos e desconectados.

Regras, ordem, coordenação e reconhecimento recíproco, são elementos indispensáveis para a organização italiana mais poderosa. Veja Também: Por que a ‘Ndrangheta é a Máfia italiana mais Poderosa?

– Reggio Calábria: o quartel geral da máfia calabresa

No seu coração em Reggio Calábria, hoje a ‘Ndrangheta se encaixa perfeitamente no gerenciamento de empresas mistas – públicas/privadas das quais dependem os principais serviços públicos oferecidos aos cidadãos. Hoje a ‘Ndrangheta tem o controle total das empresas de tipo privado e, graças à sua capacidade de conspiração e intimidação, consegue influenciar a parte pública.

As últimas investigações levadas a cabo pela DDA (Direcção Distrital Anti-Máfia), em Reggio Calábria têm destacado a supremacia absoluta da ‘Ndrangheta no tráfico internacional de drogas, tráfico que tem gerado e continua a gerar fluxos de receitas impressionantes, em favor das principais famílias mafiosas calabresas, que reinveste, especialmente no campo imobiliário, que gera receitas a partir desta atividade.

Tráfico consentido também pelo controle total do Porto di Gioia Tauro, onde através de uma penetrante ação de colusão, os ‘ndranguetas conseguem obter favores e apoio interno. O Porto di Gioia Tauro tornou-se a verdadeira porta de entrada para a cocaína na Itália.

– A ‘Ndrangheta no Norte Itália

As investigações realizadas pela DDA em Milão, confirmou a predominância de organizações criminosas de origem calabresa no território, às custas de outras máfias italianas, em espécie aquela siciliana.

A ‘Ndrangheta, depois de anos de colonização na Lombardia, adquiriu um certo grau de independência em relação a organização original e central da Calábria, com a qual ela ainda continuou a manter relações.

Seus membros vivem no Norte há várias gerações, e tem gradualmente adquirido um conhecimento total da área, consolidando as relações com as comunidades locais e dando prioridade aos contatos familiares com seus representantes da política e das instituições locais, em espécie da cidade de Milão.

Os inquéritos confirmaram a presença de algumas famílias da `Ndrangheta (‘Ndrine), em Gênova e, em boa parte na zona ocidental da região da Ligúria. Expoentes criminosos ligados de alguma forma à Máfia Calabresa, capazes de afetar o trabalho de alguns administradores locais e as atividades desenvolvidas por eles, em particular, a partir de pequenas ou médias empresas que compõem o tecido econômico predominante de toda a área.

No centro da Itália, em Bolonha, a Direção Nacional Anti-máfia verificou a existência de um fortíssimo poder criminal da matriz calabresa, com seu envolvimento nas principais estruturas políticas, econômicas e institucionais.

Aquela que foi uma vez orgulhosamente indicada como uma região constituinte modelo de saudável administração e invejada pelo alto padrão de vida de seus habitantes, hoje pode muito bem ser chamada de “Terra de Máfia “ no sentido pleno da expressão.

3) CAMORRA: AS NOVAS ESTRATÉGIAS 

O que é identificado como imputável ao fenômeno chamado Camorra, é o conjunto de pessoas mais ou menos amplas de grupos organizados e estruturados internamente em uma dimensão hierárquica.

Infiltrados no setor econômico e no sistema político local, os clãs da Camorra, estão em busca contínua de novas estratégias para melhor controlar as áreas territoriais, onde eles estão estabelecidos agindo com o método da intimidação e da violência.

Para os magistrados italianos a Camorra não é uma entidade comparável, em sua forma de se manifestar, nem a Cosa Nostra nem com a ‘Ndrangheta.

Veja também: 5 Informações basicas sobre a Máfia Napolitana 

O setor eleito como o mais conveniente para reinvestirem seus lucros é aquele das agências de apostas e do jogo on-line, tão importante que, sobre este térreo muitas vezes formam-se e consolidam-se poderosas alianças ou, vice-versa, consomem-se em sangrentas rupturas.

Todavia os setores que mais representam a principal fonte de renda pela Camorra hoje, são o tráfico de droga e a extorsão. A comercialização de artigos e acessórios de couro, de vestuário contrafeitos são outras áreas importantes que delineiam o grande mercado de contrafacção mundial.

4) SACRA CORONA UNITA: A “QUARTA MAFIA”

Sem uma tendência de expansão fora da sua área de residência, “A Sacra Corona Unita” é uma organização mafiosa extremamente localizada que, através de seus afiliados, exerce sua influência em algumas das principais regiões da Puglia.

A SCU, por aquilo que resulta hoje das mais recentes aquisições processuais, não é a “Máfia Pugliese”, mas sim a “máfia Salentina”, ou seja as organizações criminosas que controlam os grandes negócios da rica região do Salento. Não obstante seu território seja bem mais delineado do que as outras máfias italiana, a SCU hoje é ainda mais perigosa do que no passado.

Muito próxima geograficamente com os territórios da Europa Oriental, a Máfia Salentina pode contar com significativas relações comerciais e econômicas  de tipo mafioso, com as principais máfias que operam ao redor dos seus territórios, como por exemplo a Máfia albanese, Máfia Serba, e Máfia Rumena.

A busca de consenso sobre parte da população, continua a ser o principal objetivo da Sagrada Corona, sempre atenta a evitar glamorosos episódios criminais, que poderia atrair a atenção das forças de ordem e as autoridades judiciais, com o  consequente risco para o processo normal dos negócios, que são a principal fonte de renda para os afiliados.

A SCU se destaca por passar por um processo de transformação qualitativo bem organizado, através do estabelecimento de relações de cooperação reciproca, entre outras máfias menores ou não: a “máfia della pianura” (área de Foggia), e a “máfia dei montanari” (área de Gargano); da máfia Casertana (clã de Casalesi), todas infiltradas nas principais atividades administrativas e econômicas (serviços públicos municipais; vinícolas; setor turístico de hotéis; setor de terraplanagem e movimento de energias renováveis).

5) A MAFIA EM ROMA 

Há fundamentalmente duas grandes associações criminosas romanas: de um lado esta aquela liderada por Carmine Fasciani, que opera no litoral da região do Lazio, com seu quartel geral na cidade de Ostia. A máfia de Carmine Fasciani, esta envolvida no tráfico de drogas, nas atividades de agiotagem e extorsão, mas especialmente no controle de muitas atividades comerciais, e na gestão dos estabelecimentos balneares no litoral.

De outro lado ha organização liderada por Massimo Carminati, a qual se dedica à corrupção, agiotagem, extorsão, comércio de armas, mas acima de tudo atua na aquisição de contratos públicos e privados.

– Máfia Capitale

As pesquisas mais recentes mostraram um panorama criminosos realmente desanimador e preocupante. A organização chefiada por Carminati foi definida pelos investigadores com o nome de “Máfia Capital”.

Trata-se de uma organização mafiosa, de tudo peculiar, que atua em duas frentes: uma frente puramente criminal, na qual ela age de forma explícita e violenta, exatamente como, nos anos 70, seus predecessores do “Bando della Magliana” faziam. Outra frente, por assim dizer é de tipo politico empresarial.

A organização de Carminati tem sido capaz de influenciar fortemente o contexto político e administrativo romano, contando com o apoio de muitas figuras políticas importantes  e gestores públicos, todas em posições estratégicas.

Graças a este capital institucional, constantemente alimentado por um imponente circuito de suborno, a Máfia romana tem uma exagerada riqueza, derivada em parte dos fluxos de dinheiro desviado e reinvestido no tráfico de armas e drogas, em parcerias com as outras principais máfias italianas, ou seja a ‘Ndrangheta, a Camorra e Cosa Nostra.

Diferente das outras máfias tradicionais, onde o idioma delinquente e a mensagem criminal passam necessariamente por ameaças e intimidações, o crime organizado em Roma age de forma diferente.

Ao Norte, a Máfia não age como no Sul Itália: os interesses da máfia de Carminati são principalmente os grandes contratos, onde os recursos utilizados são principalmente a corrupção, o condicionamento das instituições, a troca eleitoral, onde a mensagem intimidante não pode ser explícita.

6) A MAFIA NIGERIANA 

Nascida entre os anos setenta e oitenta na Nigéria, a Máfia Nigéria na Itália tornou-se tão influente que foi capaz de criar significativas alianças nos territórios historicamente controlados pela Camorra e Cosa Nostra, também em outras cidades do norte, como Milão, Turim e Brescia.

O grupo criminoso Nigeriano mais conhecido é aquele chamado de “Black Axe” (machado preto); tráfico de droga, tráfico de armas, tráfico de seres humanos e a prostituição são seus principais negócios.

Todos os anos, da Nigéria chegam na Itália dezenas de milhares de imigrantes, movidos por grandes sonhos e falsas promessas. Uma vez na Itália, mas sem oportunidades legais e na ausência de documentos de trabalho, alguns acabam na rua, vendendo drogas ou prostituindo-se nas redes criminosas da organização, cada vez mais poderosa no panorama criminal italiano.

7) A MAFIA ROMENA

O crime organizado romeno é caracterizado de um lado, pelo seu extraordinário conhecimento tecnológico e informático, o que a coloca no topo nas estatísticas relativas ao fenômeno do crime cibernético transnacional e, por outro lado, pela sua grande flexibilidade organizacional e mobilidade operacional.

A máfia Romena pode ser considerada uma das formas mais perigosas de crime organizado itinerante e difundido na Europa. Na Itália age principalmente no centro-norte do país muitas vezes em colaboração com criminosos albaneses e claro, com as principais máfia italianas, uma sobre todas a ‘Ndrangheta e a Sacra Corona Unita. Imigração ilegal, tráfico de seres humanos, exploração da prostituição, roubos, clonagem e contrafação de cartões de crédito são seu principais negócios.

Seus métodos são particularmente violentos, recorrendo a formas de violência física e / ou violência psicológica especialmente contra as mulheres, muitas vezes reduzidas à escravidão e, em alguns casos, vendidas a outros grupos de diferentes etnias, como por exemplo a Máfia Calabresa.

8) A MAFIA ALBANESA 

Os grupos criminosos albaneses, de modo geral, são formados por pessoas da mesma cidade, do mesmo bairro e até mesmo do mesmo agregado familiar. Eles têm uma estrutura geralmente horizontal, em que há só um Capo reconhecível. Eles usam a violência para espalhar a mensagem de um poder ao qual é quase impossível escapar.

As principais atividades criminosas realizadas pela Máfia Albanesa na Itália são: exploração da prostituição, tráfico de armas, roubo de carro de alta potência, roubos em vilas localizadas no centro e no Norte da Itália e sobre tudo tráfico de drogas: neste caso, os grupos criminosos albaneses agem como “organizações de serviço” para as principais máfias italianas, ‘Ndrangheta e Camorra sobre tudo.

9) A MAFIA CHINESA

A análise do crime de origem chinesa na Itália revela sempre  uma crescente capacidade de organização em grupos. A máfia chinesa na Itália é capaz de afetar significativamente o sistema econômico e financeiro local.

A gestão dos fluxos migratórios ilegais e a consequente possibilidade de explorar a mão de obra a baixos custos, a falsificação e o contrabando são capazes de perturbar o regular andamento do livre mercado, causando sérios danos ao sistema, sobretudo o perfil da evasão de impostos e contribuições.

As principais atividades ilegais realizadas são o contrabando e falsificação de mercadorias. O crime de falsificação, contrabando e lavagem de dinheiro não cobrem todas as manifestações de criminalidade das comunidades chinesas enraizadas no território italiano.

São muitos os casos verificados de crimes relacionados com a imigração ilegal, exploração do trabalho e prostituição. Até mesmo o tráfico ilegal de resíduos está assumindo proporções alarmantes. É cada vez mais alto e real o risco de estáveis laços da criminalidade chinesa com as principais máfias italianas.

VOLTAREMOS A FALAR SOBRE A MÁFIA ITALIANA. Não esqueça de compartilhar e seguir a gente nas redes sociais!

Ad Mafia Academy png1200

Add Comment

os corleonesi
O clã mafioso Corleonesi: Uma facção que agregou muitos nomes de peso no mundo da Máfia
tráfico de drogas
A Era de Ouro do Tráfico de Drogas: Como Metanfetamina, Cocaína e Heroína se Moveram pelo Mundo Todo
Frattiano
Família criminosa de Los Angeles, mais conhecida como “Mickey Mouse Mafia”
Pizzo-Cosa Nostra-extorçao
Qual é a principal atividade da Cosa Nostra?
film cassino fatos
25 Coisas que Talvez Você Não Sabia sobre o filme “Cassino”
Quem foi Mario Puzo
O Pai do Poderoso Chefão: Mario Puzo
rene-trupo4
Top 13 Oficiais Mais Corruptos dos Filmes sobre Gângster
os bons companheiros
Os Bons Companheiros Na Real
Top 10 Gangues de Motociclistas
Top 10 Gangues de Motocicletas Mais Perigosas
gangsters e contrabando 1920
Bootleggers: O Contrabando na América do Norte
estilo gangster mafioso
Por que os Mafiosos são tratados mais como Celebridades do que como Criminosos desagradáveis?
A Insolarada - iate al capone
A Islamorada: O iate de Al Capone no Canal do Panamá