Mafia 3: O cenário épico do crime da Nova Orleans nos anos 1960 promete se livrar das comparações com GTA

Clay pode se livrar da perseguição da polícia com uma ligação para um de seus três tenentes, incluindo o protagonista de Mafia 2, Vito Scaletta. Ou ele pode simplesmente explodi-los.

Nova York, Flórida, Califórnia, Londres. A série Grand Theft Auto da Rockstar tem todo o direito de ser chamada de referência para games do estilo mafia, mas o conjunto de locais pelos quais já dura toda sua história de 18 anos tem deixado muito a desejar.

Rockstar tem um hábito de revisitar as mesmas cidades de novo e de novo, apesar de ter um inteiro planeta cheio de cidades interessantes e vibrantes para sediar um de seus games. Uma dessas cidades é Nova Orleans e é aqui que Hangar 13 está trazendo a série Mafia. O resultado está parecendo muito promissor de fato.

A inovação de Mafia 3

Mafia 3 foi o grande novo game a ser anunciado na Gamescom (a maior feira de games da Europa e uma das maiores do mundo). Com certeza isso foi em virtude de ser um dos únicos games a serem anunciados na convenção na Alemanha, mas isso não é lá muito discutível. O game gerou muito “hype” logo após a estréia de seu impressionante trailer (que você pode conferir logo abaixo) porque surpreendeu os expectadores com sua localização, o tempo retratado e o protagonista.

Os dois primeiros games Mafia jogaram com o que as pessoas esperavam desse mundo. Famílias italianas, chapéus fedora, metralhadoras, territórios. Mas desta vez será diferente! Mafia 3 é um forte contraste – localizado no Big Easy (apelido para a cidade americana de Nova Orleans) em 1968 com um protagonista negro procurando por alguém que pertence a uma divisão específica da Guerra do Vietnã. Quando Lincoln Clay chega em Nova Orleans, ele cai na “Máfia Negra” que logo é destruída pela máfia italiana – forçando Clay a formar sua própria organização criminosa e eventualmente concretizar sua vingança.

Contextos histórico-sociais de Nova Orleans

No papel, Nova Orleans soa como um local excelente, particularmente durante tal época tão turbulenta para os Estados Unidos. O Movimento dos Direitos Civis estava a todo vapor criando tensão entre comunidades brancas e negras e a nação estava dividida por conta da contínua e devastadora guerra ocorrendo a mais de 13 mil quilômetros de distância.

Se o assassinato de Martin Luther King (que aconteceu em 1968) ou os protestos contínuos contra a Guerra do Vietnã não aparecerem em Mafia 3 de alguma forma, então Hangar 13 perdeu uma grande oportunidade. Junte isso com a revolução sexual e a cultura das drogas nos anos 1960 e você terá uma riqueza de possibilidades para ajudar a definir Mafia 3 como sendo muito diferente de seus predecessores ou de qualquer game de “open world crime” épico do mercado.

A demo de Mafia 3

Na ação o local do game parece tão impressionante e individual quanto se pode esperar. 2K colocou junto uma demo ao vivo muito elegante na Gamescom 2015, talvez dando uma dica de que o lançamento do game  será mais para o inverno deste ano e mostrando-nos um considerável trecho de 20 minutos do game em ação.

Tecnicamente não houve nada tão assim que pudesse deixar o público maravilhado, mas o senso de vibração no mundo foi imediatamente engajador. Era demo dentro de portas fechadas então não era surpresa que não iríamos ver o mundo na sua forma mais ativa, mas por enquanto vamos dar aos desenvolvedores o benefício da dúvida.

O protagonista Clay anda como se ele tivesse uma lasca em seu ombro, uma animação beneficiando o rascunho de um personagem desenhado pelo trailer anunciado. Ele está nervoso e muito provavelmente afetado por suas experiências no Vietnã, ele é órfão, viu seus amigos morrerem na guerra e depois sua família adotiva em Nova Orleans também – quem não teria uma cota de problemas?

Expectativas para o game

Nossa esperança é que isso também incremente a violência do game, que é tão gratuita quanto você espera de games que são totalmente violentos sem necessidade (como a série Assassin’s Creed, por exemplo). Entretanto, pode ser muito interessante se a Hangar 13 explorar a psique de Clay e como a violência de seus atos é influenciada por isso.

O gameplay será bem familiar para quem está acostumado a jogar GTA ou algum game anterior da série Mafia. Tem uma cidade, você pode dirigir, se proteger, atirar e há diversas formas de conseguir cumprir cada missão.

Tem muitos toques legais na demo, como poder dirigir perigosamente a fim de obter alguma informação de um passageiro e ter a opção de interver em problemas policiais se parecer que eles estão assediando alguém, mas não exatamente os mecanismos que farão de Mafia 3 um game tão prospecto. São as possibilidades do lugar e da história que Hangar 13 pode mostrar com isso enquanto a Rockstar provavelmente estará sendo cada vez mais repetitiva com Nova York, Califórnia, Flórida e Londres.

Mafia 3 tem seu lançamento programado para Playstation 4, Xbox One e PC em outubro 2016.

Se você gostou do post e quer saber mais a respeito do game Mafia 3, se inscreva no nosso blog para receber as atualizações em primeira mão.

Ad Mafia Academy png1200

Add Comment

os corleonesi
O clã mafioso Corleonesi: Uma facção que agregou muitos nomes de peso no mundo da Máfia
tráfico de drogas
A Era de Ouro do Tráfico de Drogas: Como Metanfetamina, Cocaína e Heroína se Moveram pelo Mundo Todo
Frattiano
Família criminosa de Los Angeles, mais conhecida como “Mickey Mouse Mafia”
Pizzo-Cosa Nostra-extorçao
Qual é a principal atividade da Cosa Nostra?
film cassino fatos
25 Coisas que Talvez Você Não Sabia sobre o filme “Cassino”
Quem foi Mario Puzo
O Pai do Poderoso Chefão: Mario Puzo
rene-trupo4
Top 13 Oficiais Mais Corruptos dos Filmes sobre Gângster
os bons companheiros
Os Bons Companheiros Na Real
Top 10 Gangues de Motociclistas
Top 10 Gangues de Motocicletas Mais Perigosas
gangsters e contrabando 1920
Bootleggers: O Contrabando na América do Norte
estilo gangster mafioso
Por que os Mafiosos são tratados mais como Celebridades do que como Criminosos desagradáveis?
A Insolarada - iate al capone
A Islamorada: O iate de Al Capone no Canal do Panamá